Redescobrindo Lisboa: ideias para um roteiro de contrastes

O antigo e o moderno se complementam na dinâmica Lisboa

Durante muito tempo, a capital portuguesa foi vista como o patinho feio europeu. Pessoas torciam o nariz para esse destino e olhares de desdém eram comuns. Nós, brasileiros, tínhamos muito preconceito de nossos irmãos do além-mar. Águas passadas, esse ranço ficou para trás.

Considerada como um dos destinos mais quentes do momento, Lisboa tem atraído cada vez mais turistas (e brasileiros) dispostos a descobrir uma cidade cheia de encantos, onde história e modernidade convivem mutuamente. Capital dinâmica e irrequieta, Lisboa tem se reinventado e sua vocação turística é, cada vez mais, fortalecida.

Atrativos não faltam nesse cidade maravilhosa. O objetivo hoje não é esgotar o que tem para fazer em Lisboa (até porque precisaria de um livro para isso), mas é dar uma sugestão diferente de roteiro, saindo do eixo central lisboeta (vamos fazer um post sobre essas atrações mais para frente), onde o novo e o velho se completam e te possibilitam uma experiência de viagem mais completa.

Vamos lá.

MOSTEIRO DOS JERÓNIMOS

Mosteiro dos Jerónimos

Sugiro começar nosso dia visitando esse tradição monumento. Pegue o meio de transporte que você preferir (pode ser um Uber se quiser ganhar um tempinho) e dirija-se até a Praça do Império 1400-206 Lisboa, Portugal – local onde se encontra o Mosteiro.

Importante saber que a atração abre às 10 horas e fecha entre 17:30 (outubro a abril com última entrada às 17:00) e 18:30 (maio a setembro com última entrada às 18:00) . Além disso, não abre às segundas-feiras e em algumas datas comemorativas ( 1° de janeiro, Domingo de Páscoa, 1° de maio, 13 de junho e 25 de dezembro) .

O valor da entrada é de 10 euros. Fuçando no site oficial, que é esse aqui http://www.mosteirojeronimos.gov.pt/pt/index.php, você não encontra opção de comprar o ingresso online. É uma pena. Fica aqui a sugestão para que os responsáveis consigam melhorar isso.

Conclusão: precisa pegar fila. E é grande e é muvucada.

Mas tem aqui uma dica que pode resolver um pouco sua vida: você pode comprar o ingresso do Mosteiro no Museu Nacional de Arqueologia. Para quem está em frente ao Mosteiro dos Jerónimos, é só virar à esquerda e seguir até a esquina que você já acessa a entrada/bilheteria desse museu. Nele, você consegue comprar o ingresso para o Mosteiro. Com o ticket em mãos, você pega uma fila menor para entrar nesse nosso passeio.

Um detalhe: é possível comprar um ingresso incluindo o Museu Nacional de Arqueologia (acrescenta 2 euros ao valor que falei antes, ou seja, 12 euros para as duas atrações). Fica a opção.

Uma vez lá dentro, é só aproveitar. Esse monumento é uma obra-prima da arquitetura mundial – tão lindo que dá vontade de chorar.

MUSEU COLEÇÃO BERARDO

Parte do acervo do Museu Coleção Berardo

Saindo de uma beleza clássica, passamos a contemplar uma arte mais moderna. O Museu Coleção Berardo fica no Centro Cultural de Belém, praticamente na esquina do Mosteiro dos Jerónimos. Lembra onde você comprou o ingresso (Museu Nacional de Arqueologia)? É só atravessar a rua e subir umas escadinhas que você já chegou ao próximo destino de nosso roteiro.

O valor do ingresso é de 5 euros e funciona todos os dias (abre às 10:00 e fecha às 19:00).

O acervo do museu é bem variado e é o melhor do gênero em Portugal (arte moderna e contemporânea).

Você vai sentir um contraste bem interessante em relação ao Mosteiro dos Jerónimos.

Não deixe de aproveitar as exposições itinerantes.

Para essas e outras informações, acesse aqui o site oficial do museu http://www.museuberardo.pt/ .

TORRE DE BELÉM

Torre de Belém

Saindo do Museu Berardo, você vai andar um pouquinho até chegar na próxima parada (cerca de 12 minutos). O seu percurso, segundo o google maps, será esse:

Percurso entre o Museu Coleção Berardo até a Torre de Belém

Sobre a foto da Torre de Belém, alguns esclarecimentos. Como mostramos a real nos posts que publicamos (as fotos utilizados não contém filtro), deu para notar a bela chuva que tava armando cair (e de fato caiu kkk). Mas não prejudicou o passeio. Aproveito para avisar em abril (época em que estivemos em Portugal), choveu bastante. Se não der para ir em outra época, não esqueça da capa de chuva e do guarda-chuva.

Bom, é possível você entrar na Torre e visitar os espaços internos (o valor da entrada é de 6 euros). Fique atento para os horários de funcionamento (abre às 10 horas e fecha entre 17:30 (outubro a abril com última entrada às 17:00) e 18:30 (maio a setembro com última entrada às 17:00) . Além disso, não abre às segundas-feiras e em algumas datas comemorativas ( 1° de janeiro, Domingo de Páscoa, 1° de maio, 13 de junho e 25 de dezembro) .

O site oficial da atração é esse aqui http://www.torrebelem.gov.pt/pt/index.php .

PADRÃO DOS DESCOBRIMENTOS

Saindo da Torre de Belém, você continua caminhando às margens do Rio Tejo (como se estivesse voltando para o Mosteiro dos Jerónimos) e logo mais estará na frente desse monumento.

É uma escultura imponente, épica, marcando um período bem importante da história mundial (e brasileira) que foi a era das grandes navegações.

Você vai tirar umas fotos bem bacanas. Mas é isso. Maiores informações sobre esse monumento você pode conferir aqui https://padraodosdescobrimentos.pt/ . Detalhe: esse passeio é gratuito.

MAAT

MAAT (vistas interna e externa)

O Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia (MAAT) é um museu diferente de tudo o que você já viu. Tem uma pegada super moderna, atual, atenta às questões que preocupam à humanidade e seu maior diferencial, em minha opinião, é que é interativo.

Não vou dar spoilers aqui, mas vale a pena participar das interações que são propostas pelos funcionários do museu. O lúdico impacta mais do que qualquer discurso.

Outra coisa legal é a arquitetura do lugar. Não deixe de passear por cima e ao redor do MAAT. A vista é linda e dá para ousar nas fotos.

O ingresso custa 9 euros e o horário de funcionamento é das 11:00 às 19:00 (nos dias 24 e 31 de dezembro fecha às 15:00). Fique atento que não abre às terças-feiras e tampouco em datas comemorativas (1° de janeiro, 1° de maio e 25 dezembro).

Maiores informações você encontra aqui no site oficial do MAAT https://maat.pt/pt .

RESUMO DO SEU ITINEÁRIO

Informações do google maps

Gasto total com ingressos: 30 euros (10 no Mosteiro dos Jerónimos, 5 no Museu Coleção Berardo, 6 na Torre de Belém e 9 no MAAT)

Tempo estimado: entre 4 e 6 horas (dependendo do seu ritmo de viagem)

Melhor dia: quarta-feira (segunda e terça nem todas atrações estão abertas e sábado e domingo é mais lotado)

Ficou alguma dúvida? Manda um e-mail (contato@viajemaisemelhor.com)

Publicado por leandrodall

Acredito que a vida pode ser EXTRAORDINÁRIA, não importa a circunstância. Cresci em um conjunto habitacional (antes o nome era BNH, agora é COHAB), onde vivi momentos lindos, mas também (bem) desafiantes. Com muito estudo, trabalho e fé tenho vivido. Administrador de empresas por formação, copywriter e escritor por paixão, viajante por hobby, minha maior aventura começou quando conheci a Jú, esposa e companheira em todas as horas (seja dia, seja noite, ela tá lá, digo, aqui do meu lado). Temos rodado o Brasil e o mundo há pelo menos 10 anos, viajando por conta própria e na raça. Decidimos compartilhar nossas experiências, de maneira leve, prática e divertida, para incentivar outras pessoas a descobrirem suas próprias aventuras. Seja o protagonista, roteirista e diretor de sua vida. Por que não começar a viajar mais e melhor HOJE? AGORA VAI!!!

3 comentários em “Redescobrindo Lisboa: ideias para um roteiro de contrastes

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: