Guia básico de sobrevivência em Lisboa

A capital portuguesa tem se especializado como um dos destinos turísticos do momento. E quase todo mundo já sabe disso – não é à toa que ano a ano aumenta o número de visitantes desse maravilhoso país da península ibérica.

O que poucos sabem é do básico. Como assim?

Sobre aquilo que não pode faltar e vai te ajudar a ter uma experiência de viagem mais bacana. São dicas simples e que fazem toda a diferença, mas muitas pessoas passam por dificuldades para aprender esses segredinhos. Você não vai precisar passar por nada disso porque vamos te falar tudo no post de hoje.

  • Chegando no Aeroporto;
  • Deslocamentos;
  • Onde ficar;
  • Gorjetas em Lisboa;
  • Lidando com os portugueses;
  • Dicas finais;
  • Algumas ideias de roteiro.

CHEGANDO NO AEROPORTO

O aeroporto internacional de Lisboa (Humberto Delgado ou, simplesmente, Portela) é por onde você, provavelmente, vai chegar.

Caso você esteja sozinho ou tenha pouca bagagem, uma opção para chegar ao seu local de hospedagem é pelo metro (metropolitano).

É super simples entender como ele funciona. São apenas quatro linhas (verde, amarela, vermelha e azul). Você chegará na estação AEROPORTO da linha vermelha. Para pegar as demais linhas é só fazer baldeação, igualzinho fazemos aqui em terras brasileiras. Acesso à linha verde, por exemplo, é só descer na estação ALAMEDA; linha amarela, SALDANHA; linha azul, SÃO SEBASTIÃO (última estação da linha vermelha).

Se prefere mais conforto, logo que sair da zona de desembarque, siga para a fila de TÁXIS. Aqui vale a máxima para qualquer lugar: nunca pegue veículo clandestino. Sempre pergunte onde fica a fila para os táxis oficiais do aeroporto.

É possível pegar um UBER até o centro da cidade. Só fique atento que você vai precisar andar um pouco dentro do aeroporto. Por causa da rixa entre motoristas, o local para UBER ficou um pouco afastado da zona de desembarque. Mas nada muito difícil de encontrar:

  • Saindo do desembarque, dirija-se ao saguão principal do aeroporto;
  • Suba a escada rolante até a área de embarque;
  • Chegando lá, saia por qualquer porta à sua esquerda (você vai chegar na calçada de embarque);
  • Atravesse a rua (a sua frente você verá um ponto de ônibus e um mini-estacionamento coberto);
  • É nessa estrutura coberta (e oval) que você irá pegar seu UBER.

Sua viagem até o centro não levará mais que 20 minutos e sua corrida não passará de 10 euros.

DESLOCAMENTOS

O sistema de transporte público é eficiente. Seja trem, ônibus, metro ou bonde, você roda de maneira fácil e segura. Melhor opção para conhecer Lisboa gastando pouco e otimizando tempo. Dica de ouro: sempre guarde sua passagem (podem solicitar que você a apresente). Outra coisa: passes para mais de um dia saem mais barato! Tudo vai depender do tempo em que você vai ficar na capital portuguesa!

É possível também, dependendo de sua localização e disposição, explorar a cidade caminhando. Apesar de não ser plana, os passeios a pé ajudam você a conhecer ainda mais essa linda cidade!

Tem também o pega-turista clássico: “tuk tuk” (o que já falamos quando escrevemos sobre Sintra e não recomendamos). É caro, desconfortável e você passa muito rápido pelos pontos turísticos. A menos que tenha um interesse pessoal nisso, fica a dica que é uma furada.

ONDE FICAR

Localização é mega decisivo para uma experiência de viagem bacana. O ideal é se hospedar na região central, próximo aos principais pontos turísticos, ou então em algum local com metro próximo.

Em Lisboa, considere regiões como MARQUÊS DE POMBAL (bom custo x benefício), CHIADO (muito boa e muito cara), CHIADO, AVENIDA LIBERDADE (avenida chique de um dos bairros mais valorizados de Lisboa, liga a região de Marquês de Pombal com a Praça do Comércio), BAIXA (bem turística) e CAIS DO SODRÉ (região hipster de Lisboa).

Importa destacar que a região do PARQUE DAS NAÇÕES, apesar de possuir atrativos como o OCEANÁRIO e o bacana SHOPPING VASCO DA GAMA, fica longe de todo o resto. Então, apesar de você achar alguns lugares interessantes e em conta por aqui, não acho que vale a pena pela distância das outras atrações turísticas (MOSTEIRO DE SÃO JERONIMO, CASTELO DE SÃO JORGE, MUSEUS, CAIS DE SODRÉ, MERCADO DA RIBEIRA, CONVENTO DO CARMO, entre outros).

Antes de fechar seu local de hospedagem, não deixe de verificar:

  • Estações de metro na região;
  • Ano de inauguração (quanto mais novo, melhor);
  • Reputação (consulte as avaliações de outros viajantes sobre o local – costumo usar o TRIPADVISOR como ferramenta para isso).

GORJETAS EM LISBOA

Aqui não tem muito segredo e nem necessidade de conhecimentos aprofundados de matemática: 10% do valor da conta é gorjeta.

É algo educado e esperado pelo prestador de serviço. A menos que sua experiência tenha sido horrível, é importante dar esse agrado para quem te serviu bem.

LIDANDO COM OS PORTUGUESES

O povo português é um povo educado, simpático e prestativo. São super animados e receptivos com os brasileiros.

Tivemos ótimas experiências e não temos do que reclamar. Fomos muito bem tratados.

Há relatos pontuais de experiências contrárias, mas te adianto o seguinte: trate os outros como você gostaria de ser tratado e siga as regras que devem ser seguidas que você não vai ter problema.

Lá não tem essa de “jeitinho” (o que é excelente e faz o país funcionar legal). Regra é regra, não tem exceção (desculpa, mas você não é especial e, por isso, deve seguir o estabelecido). Tem dúvida? Pergunte.

DICAS FINAIS

  • Use o cofre do seu hotel para guardar o dinheiro que não irá usar no dia (calcule quanto vai gastar por dia e ande com esse dinheiro na carteira). Guardo também um cartão de crédito “reserva” para qualquer imprevisto;
  • Evite manusear dinheiro em lugares de muito movimento;
  • Não coloque sua carteira e documentos importantes no bolso de trás da calça. Evite andar com sua mochila nas costas em lugares de muito movimento;
  • Cuidado com estranhos muito prestativos e que te abordam do nada oferecendo produtos;
  • Precisando de ajuda, peça auxílio para policiais, agentes do trânsito, postos de turismos e lojistas;
  • Não viaje para Portugal em abril! Eles têm um ditado que não poderia ser mais verdadeiro: abril, águas a mil! Escolha outra época (a menos que você curta uma bela chuva ou não tenha outro período para viajar).

ALGUMAS IDEIAS DE ROTEIRO

QUE TAL APRENDER A ELABORAR SEU PRÓPRIO ROTEIRO? Vai ficar a sua cara e você vai gastar muito menos!!!!!

Yes, you can! Com as muitas ferramentas de pesquisa disponíveis (e gratuitas), você pode ser o seu próprio guia turístico, economizando tempo e dinheiro para viver uma inesquecível experiência de viagem (clique aqui e saiba mais).

Publicado por leandrodall

Acredito que a vida pode ser EXTRAORDINÁRIA, não importa a circunstância. Cresci em um conjunto habitacional (antes o nome era BNH, agora é COHAB), onde vivi momentos lindos, mas também (bem) desafiantes. Com muito estudo, trabalho e fé tenho vivido. Administrador de empresas por formação, copywriter e escritor por paixão, viajante por hobby, minha maior aventura começou quando conheci a Jú, esposa e companheira em todas as horas (seja dia, seja noite, ela tá lá, digo, aqui do meu lado). Temos rodado o Brasil e o mundo há pelo menos 10 anos, viajando por conta própria e na raça. Decidimos compartilhar nossas experiências, de maneira leve, prática e divertida, para incentivar outras pessoas a descobrirem suas próprias aventuras. Seja o protagonista, roteirista e diretor de sua vida. Por que não começar a viajar mais e melhor HOJE? AGORA VAI!!!

Um comentário em “Guia básico de sobrevivência em Lisboa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: