6 de janeiro de 2020

Vale a pena vender milhas?

Por leandrodall

A venda de milhas é um mercado que cresce no Brasil. As principais empresas do setor (MAXMILHAS, HOTMILHAS e 123MILHAS) têm divulgado crescentes negociações.

Há também um mercado paralelo (grupos do FACEBOOK) onde a galera negocia diretamente (sem intermediários) suas milhas. Naturalmente que é mais arriscado do que fazer por alguma das empresas mencionadas anteriormente.

Importante frisar que não é ilegal comercializar suas milhas. Como esse é um mercado pouco regulamentado, a menos que o programa que você tenha expressamente proíba (como é o caso do da AMERICAN AIRLINES), não corre o risco de você ser expulso. Os programas nacionais de milhagem, por enquanto, não trazem essa proibição.

As milhas dos principais programas (SMILES, MULTIPLUS, AMIGO e TUDOAZUL) possuem liquidez e vice consegue entre 200 e 300 reais por 10 mil milhas vendidas. Períodos de maior procura (férias escolares e meses antecedentes) a semana aumenta e você pode conseguir um preço melhor.

Tudo isso escrito, a grande questão é: VALE A PENA? A resposta é DEPENDE.

Se você tem milhas que vão vencer (expirar) e não tem perspectiva de uso, a venda pode ser uma boa opção. Mas atenção: se vender com a validade no osso, seu preço desvaloriza; se tiver muita gente vendendo ao mesmo tempo, também desvaloriza. Bem-vindo ao livre mercado, dominado pela lei da oferta e demanda!

Se você tem perspectiva de usar as milhas, naturalmente a venda não é um bom negócio. Dificilmente o valor obtido com a negociação vai cobrir a compra da sua passagem aérea.

Agora, se você quer fazer uma grana extra com milhas, uma opção é negociar as milhas bônus que você ganha quando transfere aproveitando alguma promoção. Vale também se você é um daqueles felizardos que ganha uma quantidade gigantesca de milha e não consegue gastar. Venda o excedente e boa.

Portanto, o principal é que você tenha claro seus objetivos com seu programa de milhagem e conheça sua relação acúmulo x resgate de milhas.

Resgate de milhas para passagens internacionais pode demorar um pouco; porém, passagens nacionais são mais fáceis de resgatar e temos bons destinos aqui no nosso Brasil. Mais a vez, aqui depende da velocidade do seu acúmulo e do prazo de expiração das suas milhas.

Minha opinião? No momento, como direciono minhas milhas para viagens (confira post clicando aqui), permaneço de fora desse mercado até que surjam melhores oportunidades.

O que sugiro para você:

  • Primeiro: escolha um programa de milhagem que seja vantajoso para você e compatível com seu estilo de vida (conheça as regras);
  • Segundo: tenha claro seu objetivo (viagem nacional ou internacional ou outros tipos de resgate);
  • Terceiro: vender ou não a totalidade ou parte de suas milhas depende dos dois itens anteriores e da relação acúmulo x resgate que você tem.
  • Quarto: se optar pela venda, não deixe de efetuar a cotação em mais de um site de negociação (MAXMILHAS, HOTMILHAS, 123MILHAS) e desconfie de negociações muito vantajosas com particulares; prefira vender em meses com demanda mais alta (férias escolares e meses anteriores); quanto maior o lote de venda (10, 20, 40 mil milhas), maior tende a ser o preço.

Quer saber como acumular mais milhas? Clique aqui e confira.