Viajar não é pra pobre

Vamos imaginar duas situações, duas vidas, duas pessoas: HORÁCIO e ERMÍNIO.

Horácio ganha R$ 1.530,67 por mês. Leva 2 horas até chegar ao trabalho (sai antes do galo cantar e volta quando a lua já tá toda sorridente). Quando chega do trabalho, só quer descansar. Aos finais de semana não abre mão do futebolzinho, do churrasco com a galera e do culto aos domingos.

Ermínio é autônomo (profissional liberal) e ganha seus R$ 10.046,80 (com pequenas variações) todo mês. Faz home office. A velocidade de sua internet é boa, o que é essencial para seu trabalho. Curte MPB aos finais de semana. Exercício físico? É correr no Ibirapuera e só à igreja quando tem casamento.

De acordo com relatório do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), o Brasil é o sétimo país mais desigual do mundo, só perdendo para países africanos (África do Sul, Namíbia, Zâmbia, República Centro-Africana, Lesoto e Moçambique). Contribui para essa disparidade a imensa tributação sobre o consumo (quase 50% da receita do Estado), penalizando os mais pobres e mordendo uma fatia proporcionalmente maior da renda dos Horácios do que da dos Ermínios.

Desse modo, a conclusão óbvia é: quanto maior a renda (salário), maior (em tese) a facilidade para viajar. Mas o negócio não para por aí. O estilo de vida influencia tanto ou mais que a renda. Explico.

Hoje, não menosprezando a dificuldade de ninguém, o mundo digital trouxe facilidades. A maior, penso eu, é a de democratizar informações. E informação é poder. Poder de fazer diferente, poder de mudar o destino, poder de não seguir os mesmos passos (e erros) de nosso círculo de convivência.

A educação financeira é componente da informação que transforma e tem muita coisa boa no YOUTUBE, dicas simples e práticas que podem mudar sua vida para melhor (recomendo o canal do PRIMO RICO). O tamanho do bolso é função do quanto você ganha (entradas), do como e quanto você gasta (saídas) e de quanto e o quê você faz com o que sobra (economias). Precisamos, mais uma vez, falar de dinheiro.

Cada uma dessas “caixinhas” (entradas, saídas e economias) dizem muito sobre como você vê e vive a vida, ou seja, seu estilo de vida.

O quanto você ganha diz muito sobre sua ambição. Funcionário público, empregado e empreendedor – tem para todos os gostos e apetites. Quem tem salário fixo, tem um garantido todo mês. A possibilidade de ganhar mais é por meio de promoção ou por meio de algum trabalho freelance ou bico. O céu é o limite e o limite você que estabelece.

O como e quanto você gasta diz muito sobre suas preferências de vida. Claro, tem as necessidades básicas (casa, comida, roupa, transporte, etc) e os outros itens que mantém nosso bem-estar e dão aquela alegrada na vida (comer fora, aquela bolsa, aquele sapato, aquela saidinha de final de semana, aquele hobby e por aí vai). O gasto com viagens entra aqui.

O que você ganha menos o que você gasta é o quanto sobra. Se você ganha pouco e não sobra nada, ou pior, falta, é o momento de pensar em investir em educação e em outras maneiras de aumentar a renda. Se você ganha muito e gasta tudo, pior ainda. Percebe o que estou querendo dizer?

Cortar gastos é o primeiro passo para viabilizar seu sonho de viagem. Chegou no limite de gastos? Tá na hora de pensar em ganhar mais.

Tá difícil aquela promoção? Pense em começar um negócio depois do expediente, fazer pequenos bicos para complementar a renda e faça acontecer. Bons canais no YOUTUBE não faltam. Inspire-se na história de pessoas reais que deram certo (FLÁVIO AUGUSTO, CARLOS WIZARD, WARREN BUFFET, JEFF BEZOS, entre outros). O brasileiro é um dos povos mais conectados nas redes sociais do mundo. Por que não pensar em alguma forma de monetizar isso? Diminua o tempo maratonando séries na NETFLIX e você vai achar a sua resposta.

Começou a equilibrar o orçamento? É o momento de começar a guardar uma grana. Invista. Estabeleça um percentual e uma meta. Pense naquela viagem, naquele lugar bacana que você gostaria de conhecer e corra atrás. Pode ser que você não tenha nascido em berço de ouro (sei como é isso) e daí te falo que a sensação de conquista é maior ainda.

Seja qual for a sua condição, você pode dar a volta por cima. Há viagens para todos os bolsos (o portal https://quantocustaviajar.com/ é uma excelente ferramenta para o orçamento da sua viagem); tenha uma meta, faça um plano e execute. Não desista no primeiro obstáculo. Sonhos só se tornam realidade quando executados.

Deixe os estereótipos de lado e assuma o controle.

  • Viagem não é pra quem é pobre de espírito.
  • O extraordinário não é pra quem é pobre de espírito.
  • Algo a mais não é para quem é pobre de espírito.
  • Novas sensações não é pra quem é pobre de espírito.

Viagem é pra quem quer sentir a brisa da manhã (sinta o vento acariciando sua bochecha enquanto você toma um chocolate quente)…

descobrir paraísos aqui na Terra (feche seus olhos e volte para aquela praia com areia fina e água transparente cheia de peixinhos)…

experimentar sabores exóticos (às vezes ainda sinto na boca aquele gostinho que experimentamos lá)…

conhecer novas pessoas (espero vê-los de novo o mais breve possível)…

lembranças para toda vida (quando toca aquela música, viajo de novo).

Viagem é sobre tudo isso.

Viagem é para quem quer ter uma VIDA RICA EM AVENTURAS, RICA EM EXPERIÊNCIAS INESQUECÍVEIS E RICA EM LEMBRANÇAS. Essas são as verdadeiras riquezas.

E queremos ajudar nisso:

  • Aprenda a fazer seu planejamento financeiro para pagar sua viagem;
  • Decida você mesmo o destino de sua viagem (sem intermediários e sem custos adicionais);
  • Saiba a melhor época para viajar;
  • Conheça as burocracias e formalidades essenciais para não passar perrengue em sua viagem;
  • Conheça ferramentas gratuitas para pesquisar e comprar passagens aéreas e hospedagem por um preço mais barato;
  • Seja seu guia de viagem e faça seu roteiro (receita para uma viagem L-E-G-E-N-D-Á-R-I-A)

Quer viver mais e melhor?

Quer viver viajar mais e melhor?

Clique aqui e faça acontecer. E por um valor bem menor do que você pensa.

Publicado por leandrodall

Acredito que a vida pode ser EXTRAORDINÁRIA, não importa a circunstância. Cresci em um conjunto habitacional (antes o nome era BNH, agora é COHAB), onde vivi momentos lindos, mas também (bem) desafiantes. Com muito estudo, trabalho e fé tenho vivido. Administrador de empresas por formação, copywriter e escritor por paixão, viajante por hobby, minha maior aventura começou quando conheci a Jú, esposa e companheira em todas as horas (seja dia, seja noite, ela tá lá, digo, aqui do meu lado). Temos rodado o Brasil e o mundo há pelo menos 10 anos, viajando por conta própria e na raça. Decidimos compartilhar nossas experiências, de maneira leve, prática e divertida, para incentivar outras pessoas a descobrirem suas próprias aventuras. Seja o protagonista, roteirista e diretor de sua vida. Por que não começar a viajar mais e melhor HOJE? AGORA VAI!!!

3 comentários em “Viajar não é pra pobre

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: