17 de março de 2020

Ainda bem que o azul não é a cor favorita de todo mundo: viva as diferenças culturais que enriquecem a humanidade!

Por leandrodall

Aquele almoço em Paris foi inesquecível. Minha esposa e eu adoramos experimentar novos sabores em cada destino que exploramos. E estávamos curiosíssimos para saber como seria comida indiana com um toque parisiense. E foi assim que nos deparamos com o Krishna Bhavan. Mal sabíamos que o “charme” do lugar ia além dos pratos servidos.

25 Rue Galande, 75005 Paris, França

3 coisas me fascinam na culinária indiana: pratos majoritariamente vegetarianos, coloridos e bem temperados. As misturas são muito saborosas e picantes na medida certa.

O lugar é bem arrumado e sem grandes luxos. A decoração, como era de se esperar, é bem temática – um pedacinho da Índia mesmo em Paris. E todo esse clima, nos deixa bem à vontade. Tão à vontade que não tinha como não comer com as mãos (alerta: lave antes bem as mãos, especialmente em tempos de contágio).

Não vou lembrar os pratos que pedimos. Só sei que era bem colorido, picante na medida certa e vinha uma boa quantidade.

Esse é o momento em que pensamos: putz, devia ter tirado a foto antes de começar a comer!!!!

Por não ser um lugar muito grande, não há muito espaço entre as mesas. Dá um toque de aconchego, ao mesmo tempo de proximidade em relação ao seu vizinho de mesa.

Ao nosso lado, sentou um simpático casal indiano. Cara, como é bacana conhecermos mais sobre culturas diferentes da nossa!!! Isso deu um tempero especial ao nosso almoço. Eles acabaram a refeição antes da gente e eram só elogios para os pratos degustados. E quando indiano gosta, ele faz questão de expressar isso. No caso, ela.

A moça se ajeitou na cadeira, respirou fundo e deu um belo e sonoro A-R-R-O-T-O!!!! Achei que ela recitaria um mantra ou o alfabeto de tão intenso que foi. E só faltou o pessoal aplaudir, tamanha foi a satisfação dos garçons que serviam no salão.

E sabe o melhor de tudo? Não houve nenhum olhar reprovador, julgador ou crítico.

É no conhecimento, na tolerância e na curiosidade que reside a fonte de nossa humanidade. E são as diferenças que nos tornam tão ricos, tão completos e tão interessantes.

Viajar mais e melhor, experimentando outras culturas, torna-se essencial para melhor vivermos em um mundo cada vez mais complexo e diverso. Viagem essa que pode estar a um voo de distância ou a apenas alguns passos de onde você está agora.