24 de março de 2020

A primeira viagem cancelada a gente nunca esquece

Por leandrodall

Estava ansioso para o dia 5 de abril de 2020.

Tudo começou faz um tempo, ainda na faculdade, quando resolvi estudar alemão. A cultura e a história desse povo sempre me fascinou. Mas não parou por aí.

Quando mudamos para Sorocaba, tivemos o prazer de conhecer uma galera do bem, nossa galera. Como éramos de outra cidade (São Paulo), nos apegamos muito a essa moçada e hoje não imagino minha vida sem eles. Pessoas especiais, sabe? Daquelas que poucas vezes encontramos na vida e quando achamos não queremos largar mais.

Daí uma notícia de impacto: o do bem virou do “b” porque dois desses grandes amigos foram buscar seus sonhos em um novo país. Que tal incluir a Polônia no roteiro? Ótima ideia! Oportunidade de conhecer um local ainda não tão explorado pelos brasileiros e rever esses grandes amigos.

Começam os preparativos:

  • 5/1/2020 – Passagens aéreas compradas até Berlim (com milhas TudoAzul voando na ida de KLM e voltando de AirFrance);
  • 7/1/2020 – Passagens aéreas compradas com a RyanAir (trecho Cracóvia – Berlim);
  • 20/2/2020 – Hotéis reservados em Berlim, em Cracóvia, em Zacopane (Alpes Poloneses) e em Praga (tudo com o hoteis.com);
  • 22/2/2020 – Emitida apólice do seguro-viagem (via cartão de crédito Visa Infinite – obrigado pelo carinho).

Entra, porém, em cena um novo desafio: o coronavírus. A guerra de notícias impede, em um primeiro momento, distinguir a real gravidade dessa nova doença. Primeiro, a Organização Mundial de Saúde decreta estado de emergência; depois de um tempo, o tempo atual, é uma verdadeira pandemia.

Governos demoram para agir. Medidas drásticas são tomadas. A população hesita e o contágio se espalha. Conclusão: restrições em nosso direito de ir e vir, tudo visando o bem-comum, a saúde pública.

Não há outra saída, senão cancelar a viagem e fazer a nossa parte nesse contexto: isolamento social. E isso é uma parte bem pequena, comparado ao sacrifício dos profissionais da saúde e daqueles que ainda estão trabalhando pela nossa segurança (física, mental, espiritual e emocional).

Bom, o cancelamento da passagem aérea adquirida com pontos TudoAzul foi efetuado relativamente sem problemas. Depois de quase 1 hora aguardando na linha, o tripulante foi super prestativo e o cancelamento, concluído. O prazo de reembolso, segundo medida provisória recente, é de 12 meses. O negócio é aguardar e ir acompanhando.

Com o Hoteis.com, para as reservas efetuadas com cancelamento grátis, foi entrar no site e cancelar. Sem grandes novidades. Atendimento perfeito (como sempre).

Com a RyanAir, o bicho está pegando. É muito difícil contatar a empresa. Os meios oferecidos não comportam a procura por cancelamento. Abri um chamado na ouvidoria dos caras e vamos continuar aguardar e cobrando.

Com a KLM/AirFrance, também está complicado. Como a reserva foi feita via TudoAzul, a empresa vê como sendo feita por meio de um agente de viagens. Daí, a orientação do call center da mencionada companhia aérea é primeiro cancelar com a Azul e depois falar com eles. Até aí, OK. O problema foi que, uma vez cancelada com a Azul, minha reserva desapareceu e os extras (bagagem, marcação de lugar, economy extra) que havia contratado e pago junto à KLM/AirFrance também sumiram!!!! Ainda sem uma solução porque minha reserva simplesmente sumiu do sistema!!!

Agora é continuar aguardando e cobrando para que uma solução satisfatória para ambas as partes seja encontrada. E o modo como tudo for conduzido é o que vai determinar qual empresa vai sobreviver e qual vai falir. Simples assim.

Porque tudo isso vai passar e vamos voltar a viajar mais e melhor.