28 de abril de 2020

A escalada: baseado em fatos reais (ou quem disse que o impossível não pode acontecer?)

Por leandrodall

Imagine que você é um imigrante argelino que mora na periferia parisiense (setor 93).

Imagine que você luta diariamente para conseguir um emprego, mas o máximo que consegue é um bico de meio período e você tem que se dar por satisfeito pois, pelo menos, vai ter comida na hora do jantar.

Imagine que no meio disso tudo tem um amor impossível. Uma garota (sempre tem). Não qualquer uma, mas a garota dos seus sonhos. Aquela que quando aparece tudo fica em câmera lenta, ela mexe no cabelo… E você pode imaginar o resto (não se esqueça da música de fundo).

Pensa que essa garota é a fim de você, mas ela quer ter certeza se você é o cara. Ela pede uma prova de amor. O seu rosto brilha. Você a quer mais do que tudo. Seu coração bate até mais forte só de pensar em tocar aquelas lábios. O que você poderia responder para ela? Tudo o que você pedir não será nada perto do meu amor por você.

Ela sorri de volta com um olhar maroto. Tudo o que eu pedir? Você sentiu algo diferente nela. Até hesitou um pouco. Mas, lembre-se: ela é o amor da sua vida. Tudo o que você pedir eu farei. As palavras como flecha acertam o alvo em cheio. É um grande amor que nasce.

E a prova de um grande amor é uma grande montanha: escale o Monte Everest que vou ter certeza dos seus sentimentos por mim! Que mina pede isso prum cara?

E o mais interessante é que a história é baseada em fatos reais. Não vou dar spoiler, mas esse apaixonado chama-se Samy Diakhate e tem um filme sobre tudo isso que contei na Netflix (A Escalada) – destaque para as belas paisagens!

E não só ele, mas todos temos um Everest para vencer.

Nem sempre é uma montanha; pode ser um vício que te põe pra baixo, um relacionamento tóxico, um desemprego persistente, um mindset que atrapalha seu desenvolvimento pessoal, uma doença que não sara, uma pandemia que muda tudo de uma hora para outra. O Everest é um obstáculo (crise) onde você está agora (situação atual) e onde você quer chegar (objetivo de vida). É o muro que separa você dos seus sonhos.

Onde começa sua vitória? No seu planejamento. Você precisa saber o que quer e pensar em ações para alcançar seu objetivo.

Como assim? Estou querendo dar um gás na minha carreira, mas não consigo. Que tal pensar em adquirir novas habilidades? Um novo curso, uma nova qualificação, um novo idioma, novas habilidades de relacionamento…

Como se não tenho dinheiro? Houve uma época em que o diploma era a coisa mais importante do currículo. Hoje mais do que parecer é importante saber, especialmente na nova economia em que estamos inseridos. Tem muito curso online e gratuito e bom disponível por aí. É fazer da quarentena algo produtivo. Lembre-se: memorizar informações é não saber de qualidade (isso os robôs fazem melhor que a gente).

Planejou? Comece a executar. Ninguém lembra de um plano perfeito não executado. Corra atrás. Uma casa é construída tijolo por tijolo. Um corpo saudável é resultado de pequenos hábitos que repetidos ao longo do tempo trazem bons resultados.

Deu ruim? Esteja pronto para aprender, reaprender e desaprender quando for o caso. Ajuste seu planejamento e/ou sua execução. Veja o que deu errado e como você pode vencer os obstáculos. Acima de tudo, adapte-se. Teimosia é diferente de perseverança.

Pense positivo. Seja otimista. Já tem muito reclamão por aí e isso não vai te ajudar em nada. A vitória começa na sua atitude e no seu mindset (e se ele for o problema, leia a Bíblia e livros bacanas de autores como Napoleon Hill).

Faça dessa crise sua escada para o alto. Faça dessa crise seu Everest. Faça dessa crise seu caminho para um novo e melhor patamar.

E não deixe de assistir o filme do Samy. Você vai se surpreender com o que pessoas convictas podem realizar.