25 de maio de 2020

Você é sem noção? Bem-vindo ao mundo da dislexia social! Sua vida pode ser diferente!

Por leandrodall

Tenho um amigo que ama passar vergonha. Ele brinca: “se vejo uma vergonha alheia já entro na fila para não perder”. E ele não é o único nessa fila.

O príncipe Phillip, marido da rainha Elizabeth II, é conhecido pelas suas gafes sociais l-e-g-e-n-d-á-r-i-a-s (quem assiste The Crown na Netfflix dá para ter uma ideia). Em um evento grandioso na Nigéria, a primeira visita da monarquia britânica em 47 anos, o presidente da Nação Africana, vestido em trajes típicos, foi receber a Rainha e o Príncipe no aeroporto. Sem pudor nenhum, ao ver as roupas do dirigente local, Sua Alteza Sem Noção disse ao presidente que ele estava pronto para ir para a cama, pois suas vestes pareciam pijamas.

Ou sabe aquele cara que não te deixa desligar mesmo quando você dá aqueles sinais típicos (então tá bom, preciso ir, nos falando depois, etc)? Ou aquele que vê que você está com pressa e fica esticando a conversa? Um sem noção pode ter o que a psicologia chama de Dislexia Social ou falta de Sensibilidade Social, no dizer de Daniel Goleman.

Essa ausência de sensibilidade atrapalha o dia a dia e prejudica todos relacionamentos. São perdas de oportunidades de negócios, de amizades e de desenvolvimento pessoal sempre que o lado sem noção toma o controle. Tem reflexos na produtividade, na qualidade de vida e no bem estar de todos. E, preparem-se: junto com o COVID-19, teremos uma pandemia de doenças emocionais como estresse, depressão e ansiedade que demandarão a atenção dos serviços públicos e particulares de saúde.

Pense nas interações sociais como uma dança.

Em cada ambiente, as pessoas antenadas socialmente (e bem-sucedidas) sabem do seu papel: em seus lares, em seus trabalhos, em clubes, em igrejas, etc. Ao terem essa consciência, cada um deve desempenhar conforme regras de conduta e de convivência, o que, em última instância, é o alicerce para qualquer sociedade ter um mínimo de estabilidade.

Quando você começa uma dança, você quer um(a) parceiro(a) que não fique pisando no seu pé. Quer alguém que saiba os movimentos corretos conforme a banda toca. O sem noção, ou não quer ou não consegue compreender isso.

O cara acha que a música deve seguir os movimentos dele e não o contrário. Acha que o mundo inteiro deve seguir os seus passos e ponto final.

Falta autoconhecimento, autogestão e, consequentemente, empatia – elementos essenciais da inteligência emocional para a satisfatória e sadia convivência em grupo.

Essa deficiência manifesta-se cada vez mais em nossa sociedade. Têm os casos extremos como dos sociopatas e psicopatas cada vez mais frequentes no mercado de trabalho (saiba as profissões com maior incidência clicando aqui). Têm os casos em que dormimos com o inimigo. Têm os casos em que fomos/somos criados por pessoas indignas dos títulos de pai e mãe. E tem outros tantos que encontramos em nosso dia a dia.

Lembre-se: abraçar o escorpião é pedir pra levar uma ferroada!

Seja você o sem noção ou não, é importante tomar um tempo para se conhecer melhor e desenvolver uma sensibilidade maior pelo outro e pelos que estão ao seu redor. Conversar com profissionais sempre ajuda.

E algumas perguntas que podem ajudar no diagnóstico de Dislexia Social:

  • O mundo está errado e só você está certo?
  • Nenhuma outra pessoa é boa o suficiente?
  • Só a sua opinião que é importante?
  • O seu tempo é mais valioso do que o de outras pessoas?

Se você respondeu sim para qualquer uma das questões acima, está mais do que na hora de parar de se olhar no espelho para admirar sua beleza. É momento de abrir a caixa-preta do seu coraçãozinho e trabalhar com um profissional para te colocar em um caminho melhor.

“Nenhum homem é uma ilha isolada; cada homem é uma partícula do continente, uma parte da terra; se um torrão é arrastado para o mar, a Europa fica diminuída, como se fosse um promontório [saliência], como se fosse a casa dos teus amigos ou a tua própria; a morte de qualquer homem diminui-me, porque sou parte do gênero humano. E por isso não perguntes por quem os sinos dobram; eles dobram por ti”

JOHN DONNE

P.S.: Se você está sendo vítima de uma relação abusiva, não fique quieta(o). Há pessoas que podem te ajudar. Indico esse grupo no Facebook que tem feito a diferença na vida de muitas pessoas (link aqui) e o canal Sabedoria Emocional do Sérgio Lima no Youtube.

Se preferir, pode também nos enviar um e-mail (contato@viajemaisemelhor.com). Ficaremos felizes em ajudar.

VIVER MAIS E MELHOR. Hoje. FAÇA COM QUE SE SEJA MARAVILHOSA. Hoje. Aproveite seu PRESENTE!