20 de junho de 2020

Manual de Etiqueta Covid-19 em Restaurantes: saiba mais!

Por leandrodall

A revolução industrial trouxe ganhos de produtividade que refletiu em benefícios pra toda humanidade. Ao mesmo tempo, longas horas de trabalho e condições insalubres para os empregados.

Começaram protestos, greves e até a destruição de máquinas. Até que os direitos dos trabalhadores entraram na agenda pública e privada, dando início a uma era de melhores condições e salários para equilibrar a relação capital x trabalho.

Ação e reação. Causa e consequência.

O 11 de setembro foi o início da guerra contra o terror e inaugurou um tempo de coleta de dados, vigilância e incremento na segurança para o trânsito de pessoas.

Causa e consequência. Ação e reação.

Ainda não sabemos todos os impactos da pior pandemia do século XXI (pelo menos até então e não quero ser pessimista).

É certo, porém, que o comportamento das pessoas nunca mais será o mesmo.

Usar máscaras e caprichar na higiene, por exemplo, já podem ser considerados como parte do novo normal em curso, talvez o pretinho básico dos tempos atuais.

E as idas a restaurantes, lanchonetes e afins, serão também uma experiência um tanto quanto diferente do que estávamos acostumados.

A reabertura de las Vegas é um exemplo disso. Os famosos buffets all-you-can-eat se adaptaram a essa nova realidade. Os displays dos alimentos estão isolados por vidros e o cliente escolhe o que deseja para que o atendente posteriormente leve o pedido para a mesa.

Por falar em mesa, cardápios físicos tendem a desaparecer (as árvores também agradecem). As opções do menu serão acessadas por meio de QR Code (necessário baixar o app de leitura para saber o que pedir e não passar vergonha).

Onde sentar nos restaurantes?

De preferência do lado de fora, mais ventilado, respeitando o distanciamento social estabelecido pelo local. Aliás, essa parte é a mais divertida (melhor pensar assim para não chorar). Há restaurantes colocando marcações onde sentar e onde não e a criatividade do ser humano não tem limite.

Desde manequins, passando pelo “X” em fita crepe (mais raiz impossível), e até ideias no mínimo exóticas. Em um café na Alemanha, por exemplo, os clientes recebem aqueles macarrões que usamos na piscina, só que como se fosse um chapéu, para ficar longe um do outro. Wunderbar! Ruim para o encontro com o crush… Prefira, nesse caso, um jantarzinho romântico à luz de velas. Se não tiver habilidades culinárias, aproveite o iFood ou UberEats e go for it!

Nos banheiros… Se desse para flutuar… Evite tocar é o mantra ao entrar, usar e sair! Don’t touch this!!!! Fuja de portas, torneiras e maçanetas. Só não esqueça da descarga, porque o(a) amiguinho(a) que vem depois agradece! Sempre que houver o toque, utilize um guardanapo ou papel descartável para sua proteção e capriche na lavagem das mãos.

Sabão e água são o novo must, substituídos pelo álcool em gel quando ausentes. Retirou a máscara? Lave as mãos. Encostou em algum lugar? Lave as mãos. Pensou em sujeita? Lave as mãos. Você me entendeu.

Ah! Não deixe a máscara em cima da mesa de refeições. Atitude rude! Aliás, retire a máscara apenas quando começar a ser servido! Espere a bebida chegar e boa!

A conta, por favor!

Use seu cartão de crédito (o dinheiro é cada vez mais de plástico), além de mais higiênico, acumula milhas para sua próxima viagem! Saiba mais aqui sobre o maravilhoso mundo das milhas!

Para digitar sua senha na maquininha, use um guardanapo ou algum outro material descartável. Se tiver cartão por aproximação ou em seu celular, melhor ainda.

Também se acostume porque a medição de sua temperatura antes de entrar em um restaurante tende a ser comum. Las Vegas já está fazendo isso e também Milão na Itália.

Há restaurantes em Dubai, por exemplo, que estimulam que os clientes levem seus próprios talheres. Que fase, hein? Apesar que não é má ideia, só que levaria descartáveis. Louça lavo em casa.

Há também espaços para os robôs nisso tudo, desde fritadores de hambúrger na Alemanha e até robonetes (garçonete + robô) na Holanda. Seria o medo de Elon Musk cada vez mais próximo de acontecer?

O que sei é que as coisas serão diferentes e a não proliferação desse vírus depende da atitude de cada um de nós.

A etiqueta do século XXI, muito mais do que mostrar status, serve como atitude de amor e cuidado consigo e com o próximo, contribuindo para a diminuição do contágio e a retomada da (nova) normalidade.