3 de agosto de 2020

Pare de ser enganado: conheça os segredos da persuasão (reciprocidade)

Por leandrodall

Você com certeza já passou por isso.

Está andando apressadamente (estação de metrô, por exemplo) para chegar a tempo em seu compromisso e, do nada, um(a) estranho(a) simpático(a) surge no meio da multidão.

Sem pedir licença, ele ou ela, sempre com um sorriso cativante, oferece um presente (um livro ou uma revista, por exemplo).

Você, sem esperar a gentileza, devolve o sorriso, aceita o presente e está prestes a adquirir algo que não queria e/ou não precisava.

Sim, porque o “presente” é uma isca para você se dirigir até determinada central/stand de vendas, com uma maior receptividade ao simpático(a) vendedor e/ou vendedora com aquele sorriso matador e lábia de dar inveja a qualquer pegador(a).

Como você vai dizer “não” após ter recebido um presente e ser tão bem tratado assim?

Esse é um gatilho mental usado a rodo aí fora: reciprocidade. Tema, inclusive, abordado por Robert Cialdini em seu excelente livro Armas da Persuasão.

Por uma questão de sobrevivência, o ser humano, ao longo de sua existência, tem usado esse princípio para conviver melhor em sociedade e se desenvolver como espécie.

Temos essa programação em nosso inconsciente de sempre retribuir um favor. Pessoas que não devolvem favores recebidos são vistas como egoístas, aproveitadoras e dignas de desprezo. Ninguém quer ser visto assim.

É por isso que tem tanto “bônus”, “presentes”, “brindes exclusivos” hoje em dia. Não só no metrô, em lugares de grande movimento, mas também nas mais diversas redes sociais. Cuidado!

Essa característica nossa boa deixa constrangidos em situações como a relatada no início. É uma violação gigantesca de nosso livre arbítrio, mas, como estamos sendo manipulados, nem percebemos. É uma estratégia vil que tem batido muita gente por aí!

Hoje, o marketing agressivo tem sido muito questionado, especialmente em um momento que um novo padrão de consumo é cada vez mais necessário.

Reduzir, reutilizar e reciclar são ações imprescindíveis para um planeta a beira do colapso.

Lowsumerism, palavra derivada da junção entre low (baixo) e consumerism (consumismo), é a tendência: consumir menos, melhor e com mais responsabilidade.

Por isso, cuidado com os ditos presentes oferecidos por aí e afora. Cavalo dado se olha sim os dentes!!!

Saiba distinguir o que um favor (esse sim, digno de retribuição em algum momento no futuro) de uma tática de venda (movimento calculado para que você se sinta na obrigação de comprar algo que não precisa e/ou não quer).

Favor, quando é de coração, se devolve!

Técnica de venda ou qualquer outra coisa com agenda oculta, a menos que seja algo que já esteja de alguma maneira em seus planos, melhor não, né?!