concrete building under blue sky
25 de agosto de 2020

Novidade para melhorar o atendimento on-line em hotéis, pousadas e resorts

Por leandrodall

Quem nunca teve a experiência de mandar um e-mail, whatsapp e/ou sinal de fumaça para tirar dúvidas sobre hospedagem e está até hoje esperando uma resposta?

Com o objetivo de melhorar o atendimento on-line de hotéis, pousadas e resorts, surgiu a startup catarinense Asksuite.

Contando com soluções inovadoras, a empresa pretende melhorar o serviço de atendimento ao cliente, incentivando, assim, as tratativas entre hóspedes e estabelecimentos sem intermediários.

Ou seja, a ideia é oferecer ferramentas digitais gpara que as reservas sejam feitas diretamente nos locais de hospedagem ao invés de portais como Trivago, Booking e Expedia.

E isso inclui respostas mais ágeis às dúvidas dos clientes. Posso levar meu pet? Vocês tem um cardápio para dietas especiais? Consigo fazer um late checkout? E tantas outras questões…

Será que é uma boa para o viajante?

Quando o estabelecimento é conhecido, ou seja, pertence a cadeias hoteleiras de renome e o cliente já teve uma experiência com o estabelecimento, penso que é uma solução excelente.

Até porque em alguns casos é mais barato fechar direto com o hotel do que por meio de intermediário.

E, muitas vezes, a distância entre uma cotação e a efetivação da reserva é uma resposta positiva para uma pergunta simples.

Agora, você é dono de um estabelecimento que ainda é desconhecido do grande público e, portanto, em busca de seu espaço, dificilmente alguém irá contratar diretamente com o hotel.

A melhor propaganda é a satisfação de quem já visitou o local e divulgou a experiência.

Nesses casos, as avaliações de viajantes que os portais de busca oferecem são primordiais para a tomada de decisão.

De todo modo, independente do porte do estabelecimento, ferramentas que melhorem a experiência do viajante, desde o momento da reserva até o checkout, são sempre bem-vindas.

Esse é o momento do setor turístico nacional se reinventar e oferecer produtos e serviços de qualidade aos seus hóspedes a um custo competitivo.

Sim, temos paisagens deslumbrantes aqui no Brasil, mas os preços são, muitas vezes, para visitantes europeus (que pagam em euro) e não nacionais (que pagam em real).

Queremos redescobrir o Brasil, mas por um preço justo, acessível e condizente com a realidade dos trabalhadores brasileiros.

Por que não oferecer um desconto para os brasileiros na hospedagem e nas atrações turísticas, como muitos outros países fazem?

Afinal de contas, quem não quer viajar mais e melhor?