grand canyon during sunset
26 de agosto de 2020

7 dicas para uma viagem inesquecível

Por leandrodall

Sei que ainda estamos no meio da pandemia e ninguém sabe ao certo até quando vai essa crise.

O fato, porém, é que estamos retornando a alguma normalidade e o turismo está reaquecendo. Os viajantes e todos aqueles que atuam no setor agradecem.

Por isso, hoje vamos falar de dicas simples e baratas que vão aprimorar sua experiência turística:

1 – Não planeje tudo

Pode parecer esquisita dessa dica, mas pensa aqui comigo: quais são as histórias de viagem que mais acabam marcando? São aquelas “surpresas” que a vida nos oferece quando estamos buscando melhores experiências.

E esse é justamente o motivo que não recomendados viagens “empacotadas”, aquelas que tem todos os dias, as horas e os minutos do passeio planejado. Banheiro? É só daqui 18 minutos senhora. Café? Só se for depois do almoço no restaurante que o guia indicou. Entendeu?

É bacana, lógico, ter um plano mínimo de viagem (e isso mostramos em detalhe como fazer em nosso livro – se quiser dar uma olhada, é só clicar aqui). Mas é preciso ter uma “margem” para descobrir coisas que só sabemos quando chegamos em nosso destino.

Me lembro de um restaurante maravilhoso que encontrei em Lisboa quando estava dando uma andada no centro, sem rumo certo, com minha esposa. Falamos dele aqui. Vale a pena o passeio.

Ou quando estávamos passeando na Pacific Highway na Califórnia e pegamos um caminho errado… Foi tenso no começo, mas hoje morremos de rir sempre que lembramos (saiba aqui).

Abra-se para o inesperado e prepare-se para grandes experiências de viagem!

2 – Não fique muito tempo no mesmo lugar

Você vai viajar e passar 10 dias em Nova Iorque. A tentação em ficar em um mesmo lugar é grande. Pode ser algum lugar próximo ao Central Park, talvez Time Square ou ainda no Soho.

Mas, e se você ficasse um pouco nos 3 bairros? Pensa só ter variadas visões de Nova Iorque em uma mesma viagem.

O mesmo se aplica para qualquer destino do Brasil ou do mundo.

Se o destino não tiver tantas atrações ou opções de hospedagem como Nova Iorque, por exemplo, pense em viagens de 1 dia (bate-volta) e até com pernoite, se achar legal.

Ou, ainda, na Europa, cujo sistema de transporte público é bem bacana, dá para pensar em várias casadinhas de cidades e lugares e curtir bem sua viagem.

3 – Alugue uma bike

Adoramos essa experiência de viagem. Pegar uma bike e rodar em Amsterdam é um programão.

Ou rodar em um parque como o Central Park de Nova Iorque. Ou na zona turística de Chicago. Ou na beira-mar da cidade portuguesa de Cascais. É uma vibe maravilhosa e seu passeio tem outro gosto.

A bike vai te levar mais longe do que se você andasse a pé. Além de cansar menos, claro – afinal de contas não é teste de sobrevivência, é passeio 🙂

4 – Gastronomia é parte integrante da viagem

Há uma diferença entre viajante e turista. Gigantesca por sinal.

O turista é aquele preocupado em tirar fotos e ir para a próxima atração. É fast food.

O/a viajante, claro que gostam de conhecer os principais pontos turísticos da cidade, vai mais além: ele/ela buscam experiências. Sim, memórias. Sim, lembrar não apenas do Museu do Louvre ou dos parques da Disney, mas o gosto, o cheiro, a vibe do lugar. Viajante é gourmet.

E a gastronomia tem tudo isso e mais um pouco. Tem alguns tours gastronômicos ao redor do mundo, para todos os gostos e para todos os bolsos.

Você também pode fazer sozinho/a. Última vez que estivemos em Las Vegas, anotamos todos os restaurantes que queríamos ir e fomos… Começamos à tardinha e terminamos no final da noite (peço que não me julguem)… Perdi a conta de quantas vezes jantamos.

Só que sempre que escrevo/falo sobre o assunto, já começo a salivar e lembrar de cada lugarzinho que fomos e degustamos comidinhas gostosa, desde a Strip até Downtown. Top das galáxias e super recomendado para quem busca algo mais!

5 – Backup é importante (shit happens sometimessad but true)

Todos viajamos para curtir e ninguém pensa em BO.

Mas, caso aconteça, algumas pequenas precauções ajudam e muito a minimizar os danos. A primeira providência é ter um seguro de viagem. Fizemos um post específico sobre ele e você pode acessar aqui. É indispensável.

Além disso, vale sempre a pena manter, em lugar seguro (cofre do local de sua hospedagem), cópia de documentos importantes como do seu passaporte, da sua passagem aérea, da hospedagem e dos passeios a serem feitos. Separar um pouco de dinheiro vivo entra nessa conta também.

Não quero soar antigo, dinossauro ou analógico, mas se dá pau no celular e a nuvem resolve bugar, esses pequenos cuidados de avó ajudam muito.

Dependendo do local de sua hospedagem, vale a pena deixar avisado a programação do seu dia e deixar acessível seu contato de emergência. Se você vai fazer uma escalada e não voltar, a equipe de resgate já sabe onde começar as buscas. Sério.

6 – Leve pequenos confortos de casa

Se você como eu tem “peculiaridades” para dormir fora de casa, leve aquela sua pantufa, travesseiro ou toalhinha. Sim, todo mundo tem aquele kit de conforto que ajuda na hora do aperto. Dá até para melhorar sua classe econômica no avião, sabia? Falamos disso aqui.

Costumo levar protetor auricular, máscara e outras coisinhas que facilitam muito o bem-estar seja onde estiver.

O mesmo princípio se aplica para o “cinto de utilidades” do viajante, ou seja, aquela mochila para passear durante o dia com pequenos apetrechos que tornam seu passeio confortável. No meu caso, não saio sem levar garrafa de água, barra de cereal, protetor solar e guarda-chuva. Descubra o que é essencial para seu bem-estar!

7 – Pequenas férias são importantes

Não sei se você conhece aquela pessoa que planeja, há anos, fazer a viagem da vida. Tá sempre planejando, sempre pesquisando e também sempre adiando.

Tem gente que se prepara para fazer uma viagem bacana no ano e passo o resto no perrengue (claro, isso em situações normais de pressão e temperatura e livre de pandemia).

Acho legal pequenas recompensas para metas atingidas e um baita bônus quando algo grande é alcançado.

Pense em viagens próximas ao local onde você mora como oásis no deserto do dia a dia. Sim, aquele bate-volta na praia (vale levar farofa, frango, banana, qualquer coisa que te fizer feliz). Sim, final de semana romântico nas montanhas.

Adiar muito as recompensas, dada as imprevisibilidades da vida, não é uma boa ideia.

Viajar ajuda a manter a sanidade mental e a alegria de viver. Recompense-se vez ou outra. Vai te fazer super bem. Pensa só quem tava na seca planejando viagem há anos e anos e daí apareceu esse coronavírus… Pois é…

Alguém pode dizer que não tem bolso para tudo isso. Quem tem? Quando falta grana, sobra criatividade:

  • Economize um bocado se hospedando em um hostel ou Airbnb;
  • Se pernoitar pesa no bolso, pense em fazer um bate-volta;
  • Comer fora pode ser caro, mas levar seu rango de casa e fazer um piquenique em uma paisagem paradisíaca é inesquecível.

E aí, curtiu a nossa lista? O que você incluiria? Escreva nos comentários e boa viagem!